Gastronomia

Devido à existência de mais de duas mil espécies de peixes nos rios do Amazonas, a culinária amazonense valoriza, acima de tudo, o pescado. As principais espécies consumidas são o tambaqui, tucunaré, pirarucu, jaraqui, pacu e matrinchã, que são transformados em pratos típicos, servidos fritos, assados ou cozidos.

A maioria dos pratos cozidos, como a caldeirada, é acompanhada por pirão, uma espécie de massa de farinha de mandioca cozida no próprio caldo de peixe, ou por tucupi, um molho amarelado feito a partir da fermentação do suco da mandioca. Para peixes fritos e assados é indispensável o “baião de dois” (mistura homogênea de feijão, arroz e cheiro-verde) e a farinha de Uarini.

As frutas regionais complementam o cardápio, podendo ser consumidas ao natural ou em forma de sucos, doces, molhos, geléias e sorvetes. Entre as mais apreciadas estão a manga, a pitomba, o cupuaçu, a graviola, a melancia, o tucumã, o taperebá, a pupunha, o araçá-boi, o biribá, o abio, o buriti, a bacaba, o açaí, o patauá e o conhecido guaraná da Amazônia.

No cardápio matinal do amazonense, o café com leite quente acompanhado de um pão francês com tucumã e queijo coalho, também chamado de “x-caboquinho”, virou uma espécie de instituição. Saboroso, também, é degustar a famosa tapioca feita com a massa da mandioca e recheada de tucumã e queijo coalho, ou sozinha na manteiga.

Estas delícias podem ser encontrada nos restaurantes regionais e nos cafés-regionais na cidade de Manaus e nos municípios próximos como Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva e Manacapuru.

Além dos restaurantes regionais, o visitante pode se deliciar com os sabores típicos das cozinhas nacionais e internacionais. Manaus oferece toda variedade de pratos portugueses, italianos, japoneses, chineses, além do fast food originalmente americano.

 

Conheça Mais

  • Serviços

    • Órgãos e Entidades

    • Instituições