Internos do Ipat realizam vestibular da Estácio para cursos em Ensino à Distância

FOTO: Divulgação/Seap
FOTO: Divulgação/Seap

Com o objetivo de recomeçar a vida por meio do conhecimento e do ensino superior, reeducandos do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) realizaram, nesta sexta-feira (05/03), o vestibular para cursos de Ensino à Distância da Universidade Estácio de Sá.

As provas foram aplicadas nas salas de aula da própria unidade, por uma equipe de pedagogia do Ipat e por representantes da Estácio. As provas tiveram questões objetivas e discursivas, além da redação com o tema “A profissão dos seus sonhos”.

Ao todo, participaram da avaliação 78 internos, sendo 26 participantes oriundos do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade” e 52 vindos dos projetos de remição pela leitura. A preparação ocorreu por meio do projeto Bambu, da cogestora RH Multi, que está inserido no programa “Conhecimento que Liberta”, da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Os reeducandos concorrem a mais de 80 cursos entre Jornalismo, Licenciatura em História e Letras, Logística e Gestão. Os aprovados terão direito a uma bolsa de até 70% no primeiro ano, e 50% nos anos seguintes. O pagamento ficará a cargo dos familiares, que decidem se o seu ente, aprovado na seleção, poderá ou não participar do curso.

De acordo com a pedagoga do Ipat, Camila Alencar, essa é a primeira vez que se realiza um vestibular para o ensino superior privado na unidade. Ela ainda afirma que os cursos mais procurados pelos internos são os de Teologia, Administração e Contabilidade.

O diretor-adjunto do Ipat, Dillaney Silva, afirma que “a importância desse vestibular é proporcionar ao interno a oportunidade de cumprir sua pena concluindo o ensino superior; e se preparando para um futuro fora dos muros”.

Para o reeducando Raimundo (nome fictício) essa é uma chance única que ele não vai desperdiçar. “Estou muito contente com mais essa oportunidade para tentar entrar no ensino superior. Quero fazer Administração, e tenho certeza que ao sair daqui, darei orgulho a minha família e serei um grande profissional”, disse.

Remição pela leitura - De acordo com a Lei de Execução Penal (LEP), nº 7.210, os internos têm o direito de remir um dia de pena a cada 12 horas de estudo.