Secretaria de Assistência Social beneficia entidade do Santa Etelvina

Foto: Miguel Almeida/Seas
Foto: Miguel Almeida/Seas

Área essencial em promover respostas rápidas frente à pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), a Assistência Social é responsável por atender a população mais vulnerável que, no atual contexto, sente mais os efeitos ocasionados por esta situação.  E para dar continuidade às ações de apoio a quem mais precisa, a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) distribuiu, nesta terça-feira (04/08), 50 cestas básicas, 50 kits de higiene e 300 máscaras a famílias  atendidas pelo Instituto Jovens do Futuro no bairro Santa Etelvina, zona norte de Manaus.

A distribuição contou com a presença da secretária executiva da Seas, Michelle Bessa, das gestoras da entidade e de representantes do Conselho Tutelar, que apoiam a abordagem social realizada pelo Instituto Jovens do Futuro.

Michelle Bessa falou sobre a sensibilidade do governador Wilson Lima em perceber o quanto as famílias vulneráveis precisam de apoio neste momento.  “O governador Wilson Lima está com os olhos voltados à toda essa população em situação de vulnerabilidade. Nós estamos aqui entregando cestas, kits de higiene e máscaras infantis no Instituto Jovens do Futuro, que atende muitas pessoas, e sabemos que, com certeza, esse apoio vai diminuir os impactos que a pandemia tem causado”, assinalou.

A Seas tem realizado ações de redução dos impactos da pandemia, na capital e no interior, com o objetivo de ampliar sua resposta rápida aos segmentos mais vulneráveis. No interior, cerca de 10 municípios já foram atendidos e na capital, as ações da secretaria já contemplaram aproximadamente 20 comunidades.

Geração de renda - O Instituto Jovens do Futuro é uma entidade socioassistencial que recebe fomento do Governo do Amazonas desenvolvendo projetos na área de informática, direcionado aos jovens, e de geração de renda, voltados a mulheres empreendedoras.

A Organização da Sociedade Civil também atua na proteção social especial com projeto de enfrentamento ao trabalho infantil, desenvolvendo ações de abordagens junto às famílias que atuam como pedintes em semáforos e cruzamentos daquela zona da cidade.

Impacto positivo - Hellen Andrade, a presidente do instituto, que atua há cinco anos na proteção básica, naquela zona da cidade, com projetos de desenvolvimento familiar e fortalecimento de vínculos, explica que o fornecimento dos produtos terá um impacto muito positivo.

“Essa ajuda da Seas vai ser de grande serventia porque hoje as famílias que nos procuram são as famílias das pessoas que perderam seus empregos, dos autônomos que tiveram seus negócios interrompidos, então, com essa contribuição vai fazer uma grande diferença na vida de muitas famílias”.

Segurança alimentar- Suelen da Silva, moradora do Santa Etelvina, conta que a cesta básica, o kit de limpeza e a máscaras vieram em boa hora. Sua mãe, que se recupera de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), está na casa dela. Já o marido, que é autônomo, está com dificuldade para encontrar trabalho. “Estamos com muita dificuldade de nos sustentar e essa ajuda, principalmente da cesta básica, vai dar tranquilidade pra gente”.