Novo coronavírus é tema de videoconferência para profissionais do interior do Amazonas

FOTOS: Tácio Mello
FOTOS: Tácio Mello

Representantes do Comitê Interinstitucional Ampliado de Gestão de Emergência em Saúde Pública para Resposta Rápida aos Vírus Respiratórios – Covid-19 realizaram nesta segunda-feira (09/03), por meio de transmissão ao vivo por videoconferência da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), palestras sobre Ações de Prevenção e Manejo Clínico para o novo coronavírus (Covid-19).

As palestras foram realizadas entre 9h e meio-dia, no núcleo de Telessaúde do Amazonas, na Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA/UEA) e transmitidas pelo aplicativo “ManoWEB” (aba Educação), pelo canal Telessaúde-AM no YouTube, e pelos canais de IPTV. Ao todo, 20 municípios participaram das palestras, que também contaram com a interação, via web, com perguntas sobre o coronavírus.

Na área da vigilância, foi abordada a situação epidemiológica do Covid-19 no mundo, Brasil e Amazonas. De acordo com o enfermeiro e responsável técnico pelo monitoramento das Síndromes Respiratória Aguda Grave (SRAG) da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Alexsandro Melo, o avanço da doença é muito rápido no mundo e também no país.

“Os boletins estão sendo atualizados de forma instantânea. A cada momento, mais países são inseridos na lista de países com transmissão. Desse modo, é essencial que os profissionais de saúde no interior fiquem atualizados, com as informações corretas”, disse.

De acordo com a palestrante e coordenadora da Comissão Estadual de Prevenção e Controle de Infecção em Serviço de Saúde (Ceciss) da FVS, Tatyana Amorim, essa capacitação para o interior faz parte do planejamento estratégico previsto no plano de contingência estadual.

“O setor de saúde precisa estar alinhado para exercer de forma organizada e rápida a contenção de uma possível epidemia do Covid-19, tendo em vista a segurança do paciente e também dos profissionais de saúde”, ressaltou Tatyana.

Na área clínica, a transmissão foi realizada pelo diretor de Assistência Médica da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Antônio Magela, que é infectologista de formação. Magela fez um panorama sobre o vírus e instruiu sobre como deve ser feito o tratamento e controle da doença nos municípios do interior.

“A transmissão do Covid-19 é igual a qualquer outro vírus respiratório, de forma direta, de pessoa a pessoa, ou por superfície contaminada. Por se tratar de um vírus novo, não há tratamento e nem tampouco vacina, por isso o tratamento é sintomático”, revelou.

Interação via web – Os participantes ainda puderam tirar dúvidas sobre os meios de transmissão da doença, os locais que devem ser evitados neste momento, a detecção, os principais sintomas, as precauções e quando se deve procurar ajuda médica.

Segunda a coordenadora de Telerregulação da UEA, Marianna Brock, o objetivo do Programa Telessaúde é levar informação qualificada à população, sobretudo aos profissionais de saúde. A instituição está presente em todos os 62 municípios e ainda cinco aldeias indígenas.

“E esse conhecimento a gente está passando por meio dessa parceria com a FVS e a Susam (Secretaria de Estado de Saúde) para todos os municípios, para que todo mundo tenha acesso, agora ao vivo, e aí dá oportunidade para tirar dúvida com as pessoas que estão dando palestras. E, infelizmente, quem perder pode assistir via YouTube, via Mano e via os canais de IPTV, e isso vai ficar sendo retransmitido enquanto houver necessidade”, disse.

Ação em andamento – Começam nesta semana as ações de vigilância sanitária em shoppings, bancos e cinemas, com o objetivo de orientar os estabelecimentos para estruturação para lavagens das mãos e a disponibilização para o dispenser de álcool em gel. Para o gerente de produtos da FVS-AM, Jackson Alagoas, a missão é alcançar todos os shoppings de Manaus.

“Sem dúvida o shopping é o local de intensa circulação, onde estrategicamente serão posicionados banners de orientação e etiqueta respiratória para os frequentadores do ambiente”, disse.

Último Boletim de SRAG – Segundo o boletim nº 9, foram notificados, até o momento, 253 casos de SRAG, sendo 224 apenas na capital amazonense. Destes, foram confirmados 49 casos por vírus respiratórios, sendo identificados 21 casos provocados por Adenovírus, 15 casos de Influenza B, seis para Vírus Sincicial Respiratório (VRS), quatro por Influenza A (H1N1), dois para Metapneumovírus e dois para Parainfluenza 1. Há dois casos suspeitos de coronavírus no Amazonas e quatro descartados.

No total, foram registrados, a partir de novembro, 31 óbitos por SRAG. Desses, nove foram por vírus respiratórios e 22 por outras síndromes respiratórias não virais. Os nove óbitos por vírus respiratórios foram de pessoas residentes em Manaus, sendo 4 por Adenovírus, 3 por Influenza B, 1 por Vírus Sincicial Respiratório (VRS) e 1 por Metapneumovírus.

Atualização epidemiológica do Covid-19 no Amazonas – A FVS-AM informa que, nesta segunda-feira (09/03), passou para três o número de casos suspeitos de Covid-19 no Amazonas, com a inclusão, neste fim de semana, de uma pessoa com registro de viagem recente para os Emirados Árabes Unidos.

O Amazonas continua com quatro casos descartados para Covid-19 e confirmados positivos para os seguintes vírus: Vìrus Sincicial Respiratório, Rinovírus e Coronavírus HKU 1 (vírus comum de resfriado).

Monitorados – As autoridades de saúde do Amazonas informam que foram liberadas da quarentena as duas pessoas presentes no voo do primeiro paciente confirmado para o Covid-19 do país. As pessoas permanecem saudáveis.