Polícia Civil apreende pistola 380 e dinheiro com homem procurado pelo homicídio de advogada no Ceará em 2012

FOTO: Alailson Santos
FOTO: Alailson Santos

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação do 8° Distrito Integrado de Polícia (DIP), em ação conjunta com policiais civis do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa do Ceará (DHPP-CE), cumpriu, nesta sexta-feira (15/03), por volta das 8h, mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado em nome de Carlos Cley Rebouças Rocha, 39, procurado pela execução, em 2012, de uma advogada de 52 anos. O crime ocorreu em Fortaleza, capital do estado do Ceará. Com o infrator, os policiais civis apreenderam uma pistola 380 e R$ 8 mil em espécie.  

O homem foi apresentado durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta-feira (15/03), às 14h30, no prédio do 8° DIP. Na ocasião, os delegados Rafael Guevara e Fabiano Pignata, titular e adjunto, respectivamente, do 8° DIP, que coordenaram a ação em Manaus, acompanhados do diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) da Polícia Civil do Amazonas, delegado George Gomes, e do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas (OAB-AM), Marco Aurélio Choy, falaram sobre o caso.

De acordo com o delegado Rafael Guevara, Carlos foi contratado pela escrivã da Polícia Civil do Ceará Regina Lúcia de Amorim Gomes para executar a advogada Maria Danielle Ximenes, em junho de 2012. No dia do crime, o infrator entrou no escritório da advogada e efetuou três disparos de arma de fogo na mulher. Regina foi presa e condenada pela Justiça daquele estado naquele mesmo ano, enquanto Carlos Cley permanecia foragido.

“Recebemos informação da equipe do DHPP-CE de que Carlos teria empreendido fuga para Manaus após cometer o crime. A partir disso, iniciamos nossas investigações e constatamos que ele estava residindo há seis anos na cidade. Passamos a realizar diligências para prender o infrator e logramos êxito na manhã de hoje, quando o encontramos na loja de refrigeração dele, no bairro Cidade Deus, zona norte da capital”, explicou Guevara.

Conforme o delegado Fabiano Pignata, no momento da prisão, os policiais civis encontraram durante buscas no local uma pistola calibre 380 com oito munições intactas, um colete balístico, R$ 8 mil em espécie e cerca de 1 milhão de bolívares venezuelanos. O mandado de prisão preventiva em nome de Carlos foi expedido no dia 20 de janeiro de 2015, pela juíza Valência Maria Alves de Sousa Aquino, da Comarca de Fortaleza.

“Quando nós o prendemos e pedimos o Registro Geral (RG) dele, Carlos nos forneceu o documento do irmão dele, que inclusive está preso em uma unidade prisional do Ceará, mas já tínhamos conhecimento de quem ele é e o conduzimos à delegacia para a realização dos procedimentos cabíveis. Carlos nos relatou, em depoimento, que havia conseguido a arma de fogo há pouco tempo e estaria mantendo o objeto no local para a própria segurança”, disse Pignata.

Flagrante e indiciamento - Carlos foi indiciado por homicídio qualificado. O infrator também foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido e uso de documento falso. Ele será levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, zona sul da capital. Em seguida, será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer até ser recambiado para Fortaleza (CE).

Durante a coletiva, o presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy, parabenizou o trabalho de toda a equipe do 8º DIP em prender Carlos. “A colega Danielle Ximenes foi morta dentro do próprio escritório, exercendo o ofício de advogada. Graças ao trabalho de investigação e inteligência do 8° DIP da Polícia Civil do Amazonas, esse é um caso, enfim, solucionado. Os advogados que atuam no Ceará também agradecem infinitamente o trabalho de toda a equipe envolvida na elucidação deste caso”, ressaltou.

O diretor do DPM também exaltou a ação do 8° DIP em dar uma resposta ao caso ocorrido em 2012. “Sabemos que esse é um indivíduo de alta periculosidade e não é a primeira vez que comete esse tipo de crime, por isso, essa resposta é muito importante. Esse é mais um caso solucionado pela Polícia Civil do Amazonas e só posso parabenizar os delegados Rafael Guevara e Fabiano Pignata, além de toda equipe do 8° DIP, pelo empenho”, declarou o delegado George Gomes.