Polícia Civil indicia autor de homicídio de jovem desaparecida desde o último dia 19 de dezembro, do bairro Novo Aleixo

FOTOS: LANA HONORATO/PC-AM
FOTOS: LANA HONORATO/PC-AM


A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Orlando Amaral, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), apresentou na manhã desta segunda-feira (24/12), durante coletiva de imprensa realizada às 9h30, na unidade policial, Paulo Sérgio de Oliveira Bentes, 28, preso pela autoria do homicídio de Raquel Melo de Morais, que estava desaparecida desde a noite da última quarta-feira, (19/12), quando saiu, por volta das 19h30, da casa onde morava com a família, situada no bairro Novo Aleixo, zona norte da cidade. A vítima tinha 19 anos.

De acordo com o titular da DEHS, os familiares da vítima suspeitavam que Paulo Sérgio tivesse envolvimento no desaparecimento de Raquel. Na manhã de sábado (22/12), o tio da vítima teria ido até a casa do infrator e notou que havia manchas de sangue em um colchão que estava dentro do imóvel. Em seguida acionou os policiais militares da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) que realizaram a detenção do homem.

“O infrator foi preso por volta das 10h, em via pública, na rua E4, no Conjunto Águas Claras, bairro Novo Aleixo, zona norte. Em seguida, o indivíduo foi levado para a DEHS. Após prestar esclarecimentos, confessou ter matado a jovem com um golpe de faca na região do pescoço”, explicou Orlando Amaral.

Conforme o delegado, ao longo das diligências para elucidar o caso, os policiais receberam informações de que Paulo costumava perseguir Raquel. Após a prisão do infrator, o indivíduo confessou que matou a jovem enquanto eles estavam deitados na cama dele.

Buscas pelo corpo – O corpo de Raquel foi encontrado no início da tarde de domingo (23/12), por volta de meio-dia, as margens de um igarapé, no conjunto Águas Claras, bairro Novo Aleixo, após buscas efetuadas por policiais civis da DEHS em conjunto com o Canil da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM) e Corpo de Bombeiros do Estado do Amazonas (CBMAM).

“Durante as buscas, inicialmente não obtivemos êxito até um determinado ponto, porque acreditamos que a enxurrada teria levado esse corpo. O auxílio do canil da PMAM foi essencial. Conseguimos encontrar o corpo cerca de 600 metros de onde o infrator relatou que teria deixado”, ressaltou Amaral.

Depoimento – Amaral explicou que, durante depoimento na especializada, Paulo Sérgio relatou que a motivação do crime seria porque a vítima teria um relacionamento amoroso com ele, no entanto a mesma estaria o traindo. O infrator afirmou que no dia do crime, Raquel teria ido à casa dele para pedir dinheiro, como era de costume. “Embora a família diga não ter conhecimento desse relacionamento, sabiam que poderia existir algo entre eles, pois no dia do fato, ele teria ido até a casa da irmã de Raquel para pegar o celular da mesma”, declarou.

O delegado informou que o crime teria sido premeditado, tendo em vista que o motivo seria traição. “Ele relatou que a moça estaria ficando com um vizinho e por conta disso a matou por raiva e ciúmes. Paulo disse que cortou o pescoço da vítima, levou o corpo para igarapé, onde foi encontrado, por volta de 20h, então enterrou em uma cova rasa. Ele teria jogado também o celular da jovem e uma blusa que ela estaria usando no dia do crime”, relatou.

Foragido – Orlando Amaral declarou, ainda, que o infrator já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas e roubo. Foi constatado que o homem era foragido de uma unidade prisional da capital e por conta disso possuía um mandado de prisão, expedido no dia 31 de março de 2017, pelo juiz Luís Márcio Nascimento Albuquerque, da Vara de Execuções Penais (VEP).

A autoridade policial informou que o mandado de prisão em nome de Paulo, pela autoria da morte de Raquel, foi solicitado no Plantão Criminal.

Indiciamento – O infrator será indiciado por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos o infrator será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde deverá ficar à disposição da Justiça.

FOTOS: LANA HONORATO/PC-AM