Programa Sinapse da Inovação destaca ideias inovadoras e empreendedoras no Amazonas

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Comitê Gestor do Programa Sinapse da Inovação se reuniu, na tarde desta quarta-feira, 23 de setembro, em Manaus, para validar as 80 propostas aprovadas para a terceira fase do programa e discutir os próximos passos do piloto. O Programa Sinapse da Inovação é uma realização do Governo do Estado via Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam) em parceria com a Fundação Centro de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi).

Nesta sexta-feira, 25, será feita a divulgação dos projetos aprovados para a Fase 3 do Sinapse. Nesta mesma data, às 9h, no Auditório Nina Lins – Bloco B  – Universidade Nilton Lins (Avenida Professor Nilton Lins, 3.259, Parque das Laranjeiras, zona norte) acontece a solenidade de encerramento da Fase 2 e abertura oficial da Fase 3 do programa.

No início deste certame, a Fapeam e a Certi, parceiras na execução deste programa no Amazonas, receberam 1.188 inscrições de propostas inovadoras. Estas passaram por uma primeira etapa de capacitação, proposição e seleção onde se destacaram 150 ideias que foram aprovadas para a Fase 2.

Nesta fase, os proponentes passaram por capacitações, com consultores do Amazonas e de Santa Catarina, estado pioneiro no Programa e, agora serão apresentados os 80 projetos melhor qualificados durante esta etapa que seguem para a terceira e última fase desta etapa do programa.  Na Fase 3, as propostas passarão por uma nova etapa de avaliações e, no próximo dia 19 de novembro, será divulgada a lista com os 40 projetos aprovados para a fase de pré-incubação.

Sucesso - De acordo com o diretor da Fundação Certi, Leandro Carioni, os projetos avaliados estão na média dos grandes centros tecnológicos. Ele destaca que o projeto Sinapse já é um sucesso no Amazonas. “Nós temos 129 empresas como uma média de notas de 6,43 que é muito parecida com a nota de 6,54 de outros centros desenvolvidos tecnologicamente como Florianópolis, São Paulo e outros. As ideias propostas no Amazonas são realmente boas”, afirmou.

Além de quantidade e qualidade, segundo Carioni, os projetos possibilitaram a capacitação de mais de centenas de pessoas que participaram da segunda fase do programa. “O sucesso não é apenas no número de empresas. Nessas 129 empresas nós temos mais de 500 pessoas envolvidas que foram capacitadas e estão aptas para caminhar sozinhas e montar sua empresa”, ressaltou.

O Comitê Gestor do programa no Amazonas é formado por representantes de instituições públicas e privadas. Para Larissa Cantisani, representante do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) no comitê, a troca de informação proporcionada pelo grupo é relevante para a promoção do programa. “Conseguimos fazer a interação das instituições competentes envolvidas e também disseminar essas informações internamente. Descobrimos a capacidade de empreendedorismo dos pesquisadores”, disse Larissa.

Objetivo e recursos - O principal objetivo do programa é transformar e aplicar as boas ideias geradas por estudantes, pesquisadores, professores e profissionais dos diferentes setores do conhecimento e econômicos em negócios de sucesso.

No Amazonas, o Programa Sinapse da Inovação é desenvolvido pelo Governo do Estado do Amazonas, via Fapeam, que disponibilizou para o Programa R$ 2 milhões em recursos, que serão destinados aos 40 projetos selecionados. Cada participante aprovado receberá R$ 50 mil, para desenvolver sua ideia.