Maternidades do Governo do Estado passam a realizar o Teste do Coraçãozinho em todos os recém-nascidos

Foto: Herick Pereira/Agecom
Foto: Herick Pereira/Agecom

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria, em cada mil nascidos vivos, de um a dois bebês apresentam algum tipo de doença cardíaca congênita grave. O diagnóstico precoce, feito antes que o recém-nascido receba alta da maternidade, é muito importante para reduzir as taxas de mortalidade associadas a essas patologias.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, a partir de agora, como parte das medidas para reforçar o diagnóstico e tratamento precoce das cardiopatias congênitas graves, todas as crianças nascidas nas maternidades do Governo do Estado passarão pelo Teste do Coraçãozinho, um exame que pode indicar alterações sugestivas de doenças do coração e permitir que a criança seja encaminhada para diagnóstico e tratamento, antes mesmo de apresentar sintomas do problema.

O anúncio da implantação do Teste do Coraçãozinho nas maternidades da rede estadual de saúde foi feito nesta terça-feira, 11 de junho, em solenidade realizada no Instituto da Mulher Dona Lindu. Além do secretário Wilson Alecrim participaram do evento o vice-governador do Estado, José Melo; a primeira dama e presidente do Fundo de Promoção Social do Estado (FPS), Nejmi Aziz; o deputado estadual Marcelo Ramos (PSB), autor da Lei 145/2013 que instituiu o exame em todas as maternidades públicas do Estado; o secretário municipal de Saúde, Evando Melo; e a representante da Sociedade Amazonense de Pediatria, Elena Marta Amaral do Santos.

Investimentos - O vice-governador José Melo destacou os investimentos que estão sendo realizados na área da Saúde, com a construção de novos hospitais, na capital e no interior do Estado, e a implantação de programas importantes, como é o caso do Programa de Imunização Contra o HPV, que vai beneficiar meninas na faixa etária entre 11 e 13 anos e, neste momento, a instituição do Teste do Coraçãozinho na rotina de atendimento de todas as crianças nascidas nas maternidades da rede estadual.

Qualidade de vida - Nejmi Aziz reforçou que o Teste do Coraçãozinho é uma medida extremamente importante para o acompanhamento da saúde das crianças que nascem nas maternidades públicas, como forma de aumentar as oportunidades para que tenham uma qualidade de vida melhor, com mais tranquilidade para seus pais e familiares.

Wilson Alecrim explicou que a oximetria de pulso, nome oficial do Teste do Coraçãozinho era, até aqui, um procedimento mais restrito à rotina das Unidades de Terapia Intensiva Neonatais, onde ficam as crianças prematuras ou que já nascem com algum tipo de problema de saúde mais grave. “Estamos avançando, agora, para uma fase em que o exame passa a fazer parte do protocolo de atendimento de todos os recém-nascidos, sendo realizado logo após as primeiras 24 horas de vida”, frisou o secretário.

Pioneirismo – A Maternidade Balbina Mestrinho foi pioneira na rede pública do Estado, na adoção do Teste do Coraçãozinho. No início de 2011, por meio de um projeto de extensão e pesquisa realizado com o apoio da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), passou a adotar o exame no protocolo de atendimento dos bebês nascidos na unidade.

 No último mês de maio, a Assembleia Legislativa do Estado aprovou projeto de Lei de autoria do deputado Marcelo Ramos, para realização do exame em todas as maternidades da rede pública de saúde no Estado. “O governador Omar Aziz determinou a imediata adequação das maternidades à nova lei. Estamos iniciando o processo pelas maternidades da capital e, em breve, o procedimento também passa a fazer parte do protocolo de atendimento nos hospitais do interior do Estado, que terão suas equipes capacitadas e receberão o equipamento para a realização do teste”, disse Wilson Alecrim.

O deputado elogiou, ainda, os esforços que foram empreendidos pelo Governo e pela direção da Fundação Cecon, para a retomada das cirurgias de correção de lábio leporino. Esses procedimentos são realizados no Centrinho, mantido na estrutura da FCecon por meio de convênio entre a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e a Liga Amazonense de Crianças contra o Câncer (LACC). “Em dois meses, mais de 60 cirurgias de recuperação de crianças com lábio leporino foram realizadas”, frisou o parlamentar.

Diagnóstico precoce – O pediatra neonatologista Alexandre Miralha, que coordenou o projeto de implantação do Teste do Coraçãozinho na Maternidade Balbina Mestrinho, explica que o exame é simples, realizado com uma espécie de sensor que, colocado primeiramente na mão direita do recém-nascido e, depois, em um de seus pezinhos, permite medir a concentração de oxigênio no sangue.  “A análise dos parâmetros encontrados pelo oxímetro permite ao médico saber se é recomendado, antes de dar alta ao bebê, encaminhar a criança para realização de exames mais específicos, como o ecocardiograma, a fim de confirmar ou descartar o diagnóstico de uma cardiopatia congênita grave”, diz Alexandre.

As cardiopatias congênitas são malformações ou defeitos na estrutura anatômica do coração e nos grandes vasos presentes no nascimento. Muitas vezes são tão graves, que podem colocar a vida em risco.