Aleam aprova empréstimos para obras da Copa em Manaus

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou na tarde desta quinta-feira, dia 12 de julho, os dois projetos de lei encaminhados pelo governador Omar Aziz, por meio de Mensagens Governamentais, que autorizam o Estado a financiar R$ 800 milhões para a construção do Monotrilho e R$ 100 milhões para a cobertura e fachada da Arena da Amazônia.

Os dois projetos foram aprovados pela maioria dos deputados após discussão conjunta das Comissões de Constituição, Justiça e Redação e da Comissão de Finanças Públicas. Para o deputado Marcos Rotta (PMDB), presidente em exercício da Aleam, o Governo do Estado está cumprindo todos os trâmites legais para dar prosseguimento às obras da Copa em Manaus. “A Caixa não tem nenhum impedimento em financiar o Monotrilho, senão este projeto não teria sido encaminhado pelo Executivo à esta Casa”, afirmou o parlamentar.

O coordenador da Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP Copa), Miguel Capobiango Neto, que esteve na Aleam para esclarecer dúvidas sobre os projetos, disse que a operação financeira de R$ 800 milhões aprovada para o monotrilho junto à Caixa Econômica Federal é o segundo financiamento garantido pelo Estado para o moderno modal de transporte coletivo que será construído na capital. “Já tínhamos a garantia de R$ 600 milhões que somados a esses R$ 800 milhões faz com que tenhamos quase 100% do monotrilho garantido por meio de financiamentos”, declarou. A obra está orçada em R$ 1,460 bilhão e segundo Capobiango, o Governo vai encaminhar nas próximas semanas as duas propostas de financiamento à Caixa.

Sobre o financiamento de R$ 100 milhões, que será feito com a agência alemã KFW Ipex-Bank, Capobiango explicou que o dinheiro será usado exclusivamente na aquisição da estrutura metálica e da membrana sintética que compõem a cobertura e fachada da Arena da Amazônia. O coordenador explicou que este empréstimo foi necessário porque o BNDES não financia materiais importados. “A KFW é uma agência de fomento alemã que, assim como a brasileira (BNDES), só financia materiais nacionais. No nosso caso, a estrutura metálica e membrana que serão usadas na arena são alemãs e se enquadram nesta linha de financiamento”, explicou.

Tribunal – O Governo do Amazonas já apresentou ao Tribunal de Contas da União o ajuste final dos valores para a construção da Arena da Amazônia, que teve o valor fixado em aproximadamente R$ 550 milhões. “Cumprimos rigorosamente o que foi recomendado pelo TCU e determinado pelo governador Omar Aziz em não aprovar nenhum valor acima do que foi encaminhado pelos técnicos do tribunal”, disse o coordenador da UGP Copa. A obra está atualmente 43% construída.