Governador Omar Aziz anuncia cartão solidário para 50 mil famílias vítimas das cheias no Estado

Foto: Alex Pazuello
Foto: Alex Pazuello

O governador Omar Aziz anunciou nesta segunda-feira, dia 30 de abril, que o Governo do Estado já cadastrou 50 mil famílias para receber o Cartão Amazonas Solidário, que destina R$ 400 para vítimas das cheias. O anúncio foi feito no município de Iranduba (a 27 km de Manaus), onde cerca de 2,8 mil famílias do distrito do Cacau- Pirêra, que estão sofrendo com a enchente, deverão receber o benefício.

Segundo o governador, estão sendo destinados cerca de R$ 20 milhões para a distribuição do cartão no Estado, que já chegou a sete municípios do rio Juruá, além de Boca do Acre, no Purus, dos quais R$ 8 milhões são do Governo Federal e o restante dos cofres estaduais. “Não vai resolver o problema de quem está com a casa alagada, mas é uma ajuda, pois ninguém mora numa situação dessa porque gosta. É por necessidade”, justificou.

O governador visitou Iranduba na manhã desta segunda-feira, ocasião em que inaugurou o Complexo Esportivo Muhammed Aziz e o mirante Solimões, em frente ao porto da cidade, além de visitar obras, como uma creche municipal ainda em construção e um prédio cedido pela Prefeitura local para a nova sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Omar Aziz garantiu que vai firmar parceria para a execução da obra.

Omar Aziz ressaltou que o município vai receber muitos investimentos nos próximos meses, a exemplo da Cidade Universitária da UEA para a qual o Governo do Estado vai destinar R$ 250 milhões, a duplicação da rodovia Manuel Urbano (AM-070), com aporte de mais de R$ 200 milhões, e a Central de Abastecimento, que terá outros R$ 5,5 milhões para que os produtores dos arredores possam comercializar a produção sem atravessadores.

Tanto a Central de Abastecimento quando a duplicação da estrada tem obra prevista para os próximos 60 dias. Omar Aziz anunciou ainda uma obra para aumentar em até três metros o nível da estrada de acesso ao Porto de Iranduba, que alaga durante o período de cheia; a construção de um porto turístico no Cacau-Pirêra, para retomar a economia do distrito e dar opção às famílias que perderam a renda após a inauguração da ponte; além da construção de uma escola de tempo integral. Também serão feitos investimentos na área social, como o programa “Viver Melhor”, que adapta casas de pessoas vivendo com deficiência e o “Oportunidade e Renda”, de combate ao desemprego.

Com isso, o governador espera levar desenvolvimento para o município e à Região Metropolitana de Manaus (RMM). Nesse sentido, ele ressaltou ainda os investimentos que estão sendo feitos em Novo Airão (a 115 km da capital), onde o Governo do Estado está recuperando toda a infraestrutura da cidade, construindo a orla e implantando projetos para alavancar o turismo. “A ponte (Rio Negro) só tem importância se nós pegarmos os municípios que estão aqui do outro lado e dotá-los de infraestrutura”.

Cheia e desenvolvimento – Ao referir-se à cheia, que segundo ele, já atinge 60 mil pessoas no Estado, Omar Aziz disse que é necessário resolver os problemas pontuais, mas também trabalhar em uma política de desenvolvimento baseada na vocação dos municípios para dar oportunidade às pessoas. “Nesse momento tem mais de 60 mil famílias em baixo d’água. Essas pessoas não estão ali por que querem. Então, nós temos que dar essa oportunidade. Trabalhar em conjunto com as prefeituras e dar às pessoas uma renda melhor para que tenham uma qualidade de vida melhor”.

O governador disse que está trabalhando para estimular a vocação de cada município e citou como exemplo, Novo Airão, que terá sua vocação turística incentivada. “Desenvolver o interior é uma decisão política nossa. Aonde tiver que fazer uma agroindústria, uma estrada para dar acesso ao escoamento da produção, vamos fazer”.

Cheia e Prosamim – Ainda em relação à cheia, o governador ressaltou o Prosamim, como projeto de infraestrutura, que está tirando as famílias de áreas alagadas. As próximas etapas vão beneficiar regiões que sofrem as consequências da cheia do rio Negro, na capital, a exemplo da Bacia do São Raimundo, que vai remanejar 4.780 famílias nos bairros do São Raimundo, Glória, Matinha e Aparecida, zona oeste. Um segundo projeto vai urbanizar um trecho no São Jorge que começa na rua Arthur Bernardes, também na zona oeste. Neste último, serão construídos mais de 1,5 mil apartamentos. “São as áreas hoje mais afetadas”, lembrou o governador.

O programa também está sendo estendido para o interior. Maués aguarda liberação de recursos, mas há projetos para outros municípios, como Iranduba. “Estamos trabalhando em cima disso para ver se a gente pode minimizar, mas não basta retirar as famílias, tem que coibir novas invasões”, destacou Omar Aziz.

Fotos

mais imagens