UnATI/UEA lança campanha Aprendendo a Envelhecer em Manaus

O Governo do Amazonas, por meio da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), lança a campanha Aprendendo a Envelhecer em Manaus no dia 3, terça-feira, de abril. Participam da solenidade o reitor da UEA, professor José Aldemir de Oliveira, e o diretor da UnATI, professor Euler Esteves Ribeiro.

Trata-se de uma ampla campanha educativa sobre como prevenir uma série de doenças a fim de educar pessoas, pesquisar dados, e disponibilizar os resultados para a sociedade e para o poder público. Por meio dessa ação, o governo estadual pretende proporcionar conhecimento de como envelhecer com êxito e ser um idoso saudável, pleno em sua idade, tornando com isso o envelhecimento na cidade de Manaus com maior qualidade.

No período de abril de 2012 a abril de 2013, a UnATI/UEA desenvolverá, junto à sociedade manauara, uma campanha/pesquisa sobre a qualidade vida no processo do envelhecimento humano. Esta campanha é parte da Pesquisa Ação “Marcadores Sociais de Envelhecimento e Qualidade de Vida do Idoso Futuro da Cidade de Manaus”, que a UnATI/UEA está realizando com a parceria de vários organismos públicos e particulares da cidade. A ação vem suprir parte da necessidade que há no Amazonas de pesquisa e educação sobre as questões do envelhecimento da nossa sociedade.

A campanha também abordará sobre como prevenir uma série de doenças a partir da educação, atividade que é parte da Pesquisa-Ação, que objetiva estimar o perfil de saúde e de qualidade de vida do idoso no ano de 2032. A área de estudo é o centro urbano da cidade de Manaus, floresta amazônica, em função do estilo atual de vida, suas relações sociais e familiares, o grupo étnico, o ambiente de floresta e o estágio de seu envelhecimento.

Hoje, em Manaus, são 152.467 idosos e em 2030 seremos mais de 600.000, segundo estimativas do censo 2010 do IBGE. A qualidade de vida que esse contingente da terceira idade terá, enquanto indivíduo e sociedade vão depender do modo como os jovens vivem hoje; como se alimentam; a quantidade de horas que permanecem nos bancos escolares; a quantidade de exercícios físicos que praticam; o ambiente que vivem; e a genética que carregam. Esses fatores serão determinantes em seu envelhecimento biopsicossocial e ambiental, com êxito ou não.

A campanha irá publicar uma série de livretos com os seguintes temas: Demência; Estresse; Hipertensão Arterial; Obesidade; Diabetes Melitus 2; Osteoporose; Sedentarismo; Nutrição; Saúde Bucal; Alcoolismo; Tabagismo; Câncer de Mama e Colo de Útero; Câncer de Próstata.