PORTO DAS LAJES TERÁ AUDIÊNCIA PÚBLICA EM NOVEMBRO

Em reunião prévia, no auditório da Federação das Indústrias do Amazonas (FIEAM), com membros do Conselho Estadual de Meio Ambiente (CEMAM) e instituições ligadas ao setor portuário e aduaneiro de Manaus, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS) e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) promoveram a apresentação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) do Porto das Lajes - empreendimento que consiste em um complexo portuário próximo ao Pólo Industrial de Manaus (PIM). Na ocasião, o Ipaam sugeriu a data de 4 de novembro para a realização da Audiência Pública com a população do entorno da obra.
 
O porto das Lajes está localizado no quilômetro 17 da Alameda Cosme Ferreira, no bairro Colônia Antônio Aleixo, numa área de 600 metros quadrados. O empreendimento gira em torno de R$ 220 milhões. A localização proposta para o Porto das Lajes é estratégica, logo após o encontro das águas do rios Negro e Solimões, possibilitando que os grandes navios de carga evitem passar por toda a orla de Manaus para desembarcar no porto localizado no centro da cidade. O novo complexo portuário vai desafogar a carga e a descarga de contêineres do Pólo Industrial de Manaus, que hoje necessita de grandes custos logísticos até chegar no porto de Manaus, no centro da cidade.
 
"O terminal portuário das Lajes possui área privilegiada pois está situado a 4 quilômetros, por via terrestre, do Pólo Industrial de Manaus e na parte hidroviária o navio que atracar neste porto terá duas horas a menos no seu tempo de navegação normal, hoje focado no cais portuário do Centro de Manaus. O porto terá capacidade para atender até 250 mil TEUS e vai gerar cerca de 120 empregos diretos", declarou Sérgio Gabizo, diretor da Lajes Logística S.A, empresa que vai implantar o porto.
 
Para o professor da Ufam e coordenador do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) do Porto das Lajes, Carlos Edwar, o empreendimento é viável desde que seja levado em consideração aspectos compensatórios ambientais e sociais.

 "O porto é uma obra viável e isso foi constatado num estudo de quatro meses feito por nós, mas tem que ter governança ambiental, principalmente para as comunidades residentes no entorno da obra e bairros como a Colônia Antônio Aleixo e redondezas, por isso a necessidade da audiência pública", destacou Edwar.
 
A secretária da SDS, Nádia Ferreira, na condição de presidente do CEMAM considerou fundamental prestar esclarecimentos prévios a sociedade sobre o Porto das Lajes, antes da realização da Audiência Pública.

"Estamos inovando na questão do licenciamento de grandes obras fazendo sempre uma apresentação prévia do empreendimento para instituições interessadas e principalmente para o CEMAM, que é a instância máxima ambiental do Estado. Acreditamos, com isso, que esta apresentação do Estudo de Impacto Ambiental para as instituições interessadas no assunto enriquecerá as discussões durante a Audiência Pública a ser realizada em breve", destacou Nádia.
 
Entre os membros do CEMAM convidados para a reunião estão também instituições como: Ministério Público Federal e Estadual, Suframa, Receita Federal, Secretaria do Patrimônio Público da União – SPU, Prefeitura de Manaus, Capitania dos Portos, Fundação Djalma Batista, Corpo de Bombeiros, Departamento do Fundo da Marinha Mercante e CDLM.